Blog

Diversão

15 erros de português que devem ser evitados na hora de escrever

Estagiar é enfrentar inúmeros desafios. Dentre eles, o uso correto da língua portuguesa. Dominar seu idioma é de extrema importância para transparecer uma imagem de credibilidade e ainda evitar por qualquer constrangimento. Contudo, passar por um momento de esquecimento é comum. Muitas vezes não lembramos de forma alguma a palavra que queremos utilizar, especialmente se não a usamos com tanta frequência. Sem falar da grafia que, dependendo do termo, pode gerar dúvidas cruciais e motivar aquela pesquisa na internet para conferir, afinal, como tal palavra deve ser escrita. Situações como essa são extremamente comuns no dia a dia: nossa língua é extremamente complexa e confunde até mesmo os mais estudiosos. Porém, na vida profissional, devemos sempre estar atentos aos deslizes. Numa entrevista de emprego, por exemplo, um erro banal pode colocar uma vaga a perder. Sendo assim, para ajuda aqueles que estão no início da carreira e pretendem fugir dos equívocos, listamos os erros mais corriqueiros. Portanto, tome nota, esclareça suas dúvidas e aperfeiçoe seu português.

Acerte na mosca

1 – Há/à/a

Aqui está um dos erros mais comuns na hora de escrever um e-mail, por exemplo. O termo há com o “h” é derivado do verbo haver indicado para um tempo passado. Já a expressão “a” é indicada para indicar futuro ou distância. A contração “à” da preposição de “a” com o artigo feminino no singular talvez seja o termo que mais traga dúvidas. Ele pode ser usado em diversas situações, mas as mais comuns são: diante de palavras femininas, para indicar a hora e antes de locuções adverbiais que indiquem, tempo, lugar e modo.

Exemplos: Vou adicionar à coleção de joias.
Estou horas na fila. Conversarei com o gerente daqui a três dias.

2 – Ratificar/ Retificar

As palavras são parônimas, ou seja, possuem a grafia e pronúncia parecidas, mas significados diferentes. Ratificar significa confirmar, reafirmar, comprovar algo. Já retificar tem diversos sentidos dependendo do contexto em que é aplicado, mas normalmente costuma significar corrigir ou emendar.

Exemplos: Devemos retificar os dados da empresa.
Nossa análise foi ratificada como esperávamos.

3 – Há três anos/ Há três anos atrás

Reparou em alguma redundância aqui? Pois é, na pressa do dia a dia é normal cometermos alguns erros que não são considerados graves, mas que se percebidos, podem ser corrigidos e tornar a frase mais simples e de fácil entendimento.

Exemplos: Lembro-me de ter falado com ela há três anos.
Há cinco anos
que não nos vemos.

4 – Ir de encontro/ ir ao encontro

Se atente ao escrever um e-mail para algum cliente de sua empresa. Às vezes uma pequena palavra pode fazer com que os negócios não deem certo, isso porque a expressão “ir de encontro” é utilizada para apontar algo que seja contrário ao que foi proposto. Se você quiser informar que está de acordo com o combinado deve usar “ir ao encontro de”.

Exemplos: Nossos interesses vão de encontro com o que foi pedido. (Quer dizer que são contrários)
Nossos interesses vão ao encontro do que foi pedido. (Quer dizer que concordam)

5 – Se não/ Senão

Nenhuma dessas palavras estão erradas, mas se inseridas em contextos errados, ambas podem acabar prejudicando sua imagem com seu chefe e colegas. Por isso, saiba a diferença entre elas. O termo “senão” deve ser usado quando quiser contrariar algo que foi dito, já o “se não” é usado nas orações subordinadas condicionadas e pode ser trocado por “caso não”.

Exemplos: Fale alto, senão ninguém vai te ouvir.
Se não chover, poderemos ir ao parque. (Caso não chova, poderemos ir ao parque)

6 – Através/ por meio

Esses dois termos são uns dos que mais causam confusão na hora de serem utilizados da forma correta, mas não se esqueça de seus significados para acertar em cheio na gramática: “através” é um advérbio que expressa algo que se pode atravessar de forma transversal, está ligado a um movimento físico como o ato de atravessar. Já “por meio” sugere uma ideia de “por intermédio de” e está associado ao conceito de realizar uma ação.

Exemplos: Consegui enxergá-lo através do vidro.
O gato passou através da fresta da janela.
Fiquei sabendo por meio dos meus amigos.
A empresa informa os funcionários por meio de e-mails.

7 – Afim/ A fim

Você está afim de almoçar ou você está a fim de almoçar? Qual dessas expressões te parecem estar corretas? Se você está em dúvida, não tem problema. Vamos esclarecer: o termo “a fim” indica a ideia de finalidade, vontade ou interesse e, faz parte da locução prepositiva “a fim de” podendo ser trocado também por “com o propósito de”. Já “afim” é um adjetivo que tem sentido de semelhança.

Exemplos: Você está a fim de almoçar?
Nós temos ideias afins.

8 – Tem/ Têm

A palavra “tem” é a referência da terceira pessoa do singular do verbo “ter” no presente do indicativo, já “têm” também é da terceira pessoa do verbo, mas no plural. Então lembre-se: sempre que for se referir a mais de uma pessoa ou objeto, utilize o acento circunflexo, popularmente conhecido como “chapeuzinho”.

Exemplos: Eles têm mais trabalho aqui.
Ele tem mais trabalho aqui.

9 – Acento/Assento

Conhecidos como homônios, ou seja, palavras que são pronunciadas da mesma forma, as palavras “acento” e “assento” possuem significado totalmente diferente. O “assento” com dois “ss” é a palavra que dá sentido ao movimento se sentar-se em algo como, por exemplo, em uma cadeira, no sofá, etc. Já o “acento” com “c” é utilizado para sinalizar um sinal gráfico que a palavra demarca ou um sotaque.

Exemplos: O assento do meu carro é muito confortável.
Está faltando um acento nesta palavra.

10 – Mas/ Mais

Quando éramos pequenos, nossas professoras associavam as palavras semelhantes a desenhos que nos fariam lembrar a diferença do significado delas, no caso do “mas” e do “mais” essa é a situação perfeita. Isso porque o termo “mas” é uma conjunção adversativa que introduz uma contrariedade ou uma adversidade e pode ser substituído por: “porém”, “contudo”, “entretanto ou “todavia”. Já o “mais” é um advérbio de intensidade e é contrário à palavra “menos”, dando sentido de adicionar algo. Os dois termos também possuem outros sentidos: “mas” pode ser um substantivo masculino e “mais” também é usado como adjetivo e substantivo masculino.
Exemplos: Quanto mais pessoas, melhor para os negócios.
Queria ter ido ao casamento, mas estava gripado.

11 – De baixo/ Debaixo

Sempre que você está trocando uma mensagem com alguém, para pra pensar se está escrevendo o termo certo? Afinal, é “debaixo” ou “de baixo”? As duas expressões estão certas, porém “debaixo” é um advérbio de lugar e usado para alguém ou algo que está na posição vertical inferior ou de inferioridade. “De baixo” é usado separado quando assume a função de adjetivo ou se estiver relacionado com “em cima”.

Exemplos: Com esse frio, nada melhor do que ficar debaixo do cobertor.
Nosso escritório fica no andar de baixo.

12 – Em cima/ Encima

Assim como “de baixo” e “debaixo”, as expressões “em cima” e “encima” estão corretas, mas possuem significados diferentes. “Encima” é do verbo “encimar” e está relacionado ao ato de coroar, elevar ou algo situado acima de. “Em cima” pode ser tanto um advérbio quanto preposição e expressa a ideia de estar na parte superior, sobre algo.

Exemplos: O zelador foi encimado síndico do condomínio.
Deixei uma carta em cima da sua mesa

13 – Chego/ Chegado

Por mais que algumas pessoas considerem “chegado” uma “palavra feia” de ser falada, ela está correta, isso porque este é o único particípio do verbo “chegar”. A palavra “chego” também está certa, mas ela se refere à primeira pessoa do presente do indicativo.

Exemplos: A secretária havia chegado atrasada para ir trabalhar.
Eu sempre chego cedo.

14 – Tivesse/ estivesse

Com a ascensão das redes sociais, muitas pessoas estão acostumadas a usar abreviações de palavras, que acabam até sendo usadas com intenção diferente de seu real significado. Alguns usuários se esquecem muitas vezes de usá-las corretamente no ambiente de trabalho por terem como hábito esse vício de linguagem enraizado. “Tivesse” e “estivesse” estão corretas, mas “tivesse” é uma derivação do verbo “ter” e “estivesse” conjuga do verbo “estar”.

Exemplos: Se ele estivesse com nós, talvez eu não tivesse que me preocupar tanto.
É como se eu estivesse na sua presença. Se tivesse um carro poderia ir te visitar.

15 – Traz/ Trás

Para finalizar, saiba qual a diferença entre essas pequenas palavras: o termo “traz” é a terceira pessoa da conjugação do verbo “trazer” e “trás” refere-se a algo depois de, após ou atrás.

Exemplos: Ele sempre traz café para os funcionários.
Quando olhei para trás não estava mais lá.

Em muitas situações, conhecer profundamente seu idioma pode ser um grande diferencial, ainda mais na busca por uma colocação profissional.

Por mais que algumas questões pareçam confusas, o segredo para assimilar as regras do idioma é praticar constantemente. Logo, busque sempre aperfeiçoar seu português lendo, escrevendo e consultando fontes confiáveis de pesquisa. Com essas dicas, certamente será mais fácil se destacar na carreira. Está ansioso para começar? Aqui é lugar certo para encontrar o seu estágio. Se se inscreva no nosso site, acompanhe todas as dicas e se prepare cada vez mais para conquistar sua tão sonhada vaga.

 

 

Sua carreira profissional começa em boa companhia.

Um único cadastro dá o direito para se aplicar a qualquer vaga e programas de experiência!