Blog Carreira & Mercado

Novas vagas
Comitê da Diversidade

Diversidade e Inclusão: como tornar colaboradores em parceiros

Muitas empresas têm falado sobre criar aliados para ajudar nas questões de diversidade e inclusão (D & I) internas, na maioria das vezes, outras organizações, como ONGS ou instituições fazem parte desse planejamento. Mas, o que elas não sabem, é que os próprios colaboradores podem se tornar grandes parceiros nessa jornada.

Atualmente, as empresas estão focadas em engajar as pessoas em suas ações e questões de D & I através de grupos de afinidade, palestras e treinamentos. Mas será que engajar é a mesma coisa que criar parceiros?

Para tornar um ambiente de trabalho inclusivo, a organização precisa de colaboradores que se sintam à vontade para oferecer novas ideias e sugestões, além de estratégias e ações para melhorar a mentalidade e cultura organizacional a curto e longo prazo.

Mas, afinal, o que é diversidade nas empresas?

A temática da diversidade vem ganhando cada vez mais espaço na área de Recursos Humanos. A preocupação de oferecer processos e ambientes mais inclusivos está marcando o mundo corporativo. Em razão disso, há um grande aumento de pluralidade nas equipes, como pessoas de diferentes formações, gêneros, raças, experiências e visões de mundo.

Além disso, essa atuação abre portas para diversas possibilidades e vantagens, como melhor gestão, abertura para inovação e assertividade na conexão com clientes e público alvo.

Manter a cultura de diversidade alinhada à cultura da empresa

Um dos principais processos é alinhar a cultura organizacional às ações focadas para diversidade e inclusão. É importante observar se a empresa está disposta a abrir espaço para essas estratégias.

Um ponto de destaque, é assegurar uma equipe preparada para oferecer uma gama de possibilidades, desenvolvimento e novos conhecimentos, favorecendo o crescimento e a inovação de pessoas e toda a sua rede de relacionamentos.

Após isso, realizar uma pesquisa interna para entender o sentimento dos colaboradores é essencial para começar a desenhar novas ações.

Crie um comitê

A estruturação de um Comitê da Diversidade é fundamental para acompanhar e impulsionar a realização de programas e eventos voltados para criar equipes e ambientes mais diversos. Além disso, pode trazer uma série de vantagens, como:

  • Possibilidade de trabalhar em parceria com o RH;
  • Acompanhar e propor ações no âmbito da D&I;
  • Provocar debates sobre temas pertinentes;
  • Oferecer um espaço de acolhimento.

“Na Companhia de Estágios montamos um comitê de diversidade para pensar em ações internas e apoiar nas iniciativas de divulgação e parcerias dos programas de estágio e trainee que conduzimos. O apoio do comitê com ações e ideias engaja os demais colaboradores e é fundamental para termos números significativos, como uma base de dados diversa – com 39% de negros e mais de 72% de mulheres, cerca de 300 pessoas com mais de 30 anos contratadas em 2021, além de processos que incluíram públicos antes desconsiderados como indígenas, refugiados e outros”, comenta Tiago Mavichian, CEO e fundador da Companhia de Estágios.

Conclusão

Para tornar colaboradores em parceiros é necessário ter consistência e fazer ações durante toda a trajetória. Assim, quando as empresas investem no engajamento e interação de seus funcionários, todos os processos serão mais flexíveis e diversos.

A nova geração busca ambientes de trabalho com propósito e acolhimento. Por isso, estimular a promoção da diversidade e inclusão gera engajamento, cria uma cultura organizacional acolhedora e não oferece espaço para atitudes de cunho preconceituoso.