Blog Carreira & Mercado

Novas vagas
Candidato

Geração Z: o que os jovens ultraconectados podem acrescentar às empresas?

Especificar as gerações é muito difícil hoje em dia, pois as nomenclaturas e intervalo de datas pode variar entre os estudos do gênero, mas, a maioria dos especialistas aponta que o mercado de trabalho atual é constituído por baby boomers (nascidos entre 1946 e 1960), pelas gerações X (nascidos entre 1961 e 1980), Y (nascidos entre 1981 e 1992) e, finalmente, Z (nascidos entre 1993 e 2010), essa última também chamada de Young Millennials.

Os Z, como são conhecidas as pessoas pertencentes à geração Millennials formam a nova onda de profissionais que estão chegando às empresas com características bem distintas dos outros grupos. Nativos digitais, esses jovens têm provocado mudanças importantes nas estruturas das empresas por terem conhecimento e mentalidade diferentes dos demais. Mais preocupados com a sustentabilidade, qualidade de vida, satisfação profissional e pessoal, esses jovens têm criado novas formas de trabalhar e auxiliado empresas a alavancarem seus negócios, justamente por terem outra visão. Veja mais características dessa nova força de trabalho:

Encontro de gerações

Assim como qualquer outra geração, a Z também possui seus defeitos e qualidades, porém, as imperfeições desse grupo estão mais ligadas à imaturidade no ambiente de trabalho, que, com o tempo e conforme vão adquirindo experiência, tendem a desaparecer. Porém, são as qualidades desses jovens que auxiliam as instituições a inovarem, por isso cada vez mais empresas têm enxergado o valor dessa nova força de trabalho no mundo corporativo. Isso porque algumas instituições já entenderam que a junção dos Z com as demais gerações influência na criação de novos produtos, estratégias sustentáveis e melhora até mesmo o ambiente de trabalho. A união de um jovem com muito “gás” e ideias com um profissional altamente capacitado e experiente é, para muitas empresas, uma parceria de sucesso.

Mentes criativas

Por ser uma geração que nasceu em meio à agilidade, os Z são ideais para realizar atividades que exigem velocidade, inovação e que sejam um tanto desafiadoras, já que esses jovens, quando instigados, se sentem motivados a dar continuidade a um projeto, por exemplo. Os desafios são, inclusive, essenciais para que esses trabalhadores se sintam estimulados e não mudem de área ou empresa.

Além disso, essa geração entende com facilidade a necessidade de constantes feedbacks, sejam eles positivos ou negativos, por isso são bem sinceros quanto às atividades desenvolvidas pelas empresas, o que agrada e muito as organizações. Aliás, por serem tão velozes nas opiniões e realização de tarefas, os Z costumam alcançar cargos de gerência mais fácil que os demais, pois as instituições entendem que eles sabem lidar melhor com a pressão, se relacionam bem com as pessoas e têm capacidade intelectual de desenvolver atividades que incentivam o avanço das empresas.

Equilíbrio entre trabalho x qualidade de vida

Por ser uma geração mais autônoma e contestadora, as organizações têm mudado sua política interna e se tornado mais flexíveis para atingir esse público que valoriza muito mais a qualidade de vida e o equilíbrio entre vida profissional e pessoal.

Visando incentivar os jovens que integram cada vez mais o quadro de funcionários, as instituições têm adotado novos horários de trabalho que fazem com que os Z sintam mais liberdade em escolher como e quando trabalhar e, dessa forma, possam cuidar também da vida pessoal. Como exemplo, existem empresas que adotaram a Short Friday (sexta-feira curta, no português), que nada mais é do que a saída dos funcionários por volta das 16h no penúltimo dia útil da semana. O home office uma vez por semana, ainda pouco comum no Brasil, também já uma realidade em muitas multinacionais.

Tudo isso para ajudar na qualidade de vida dos funcionários e favorecer não só os Z, mas também para mostrar a importância do equilíbrio para outras gerações que sempre priorizaram o trabalho, muitas vezes deixando de lado a vida pessoal.

Mais conscientes

Nascidos em um momento em que a economia mundial estava abalada, o desmatamento em alta e a poluição como debate principal nas escolas, essa geração cresceu com a tendência de se importar mais com esses assuntos, muitas vezes participante ativamente de causas desse tipo. Mais preocupados com a sustentabilidade, os jovens têm auxiliado as instituições a desenvolverem projetos que se adequem a essa proposta, além de darem mais visibilidade a ações sociais dentro e fora das corporações.

Você faz parte da geração Z? Então traga todo seu potencial para o mercado de trabalho! Sabe como? Se inscrevendo gratuitamente no site da Companhia de Estágios, assim você recebe as melhores oportunidades de estágio e aumenta as chances de começar uma carreira brilhante!